biosphera21

               voltar ao início

na natureza e no tempo (no mundo)
paisagens partilhadas+ensino
estudos das Escrituras
labirintos da alma
na espiral
sobre






eu amo a Deus








foto: Euler Sandeville Jr., Itatiaia, 2006

retornar ao menu inicial








NAS ESTRELAS
Euler Sandeville Jr.
31 de janeiro de 2019

Esta madrugada, pela primeira ou segunda hora, saí ao terreno da "chácara" e havia um céu estrelado magnífico. Nas melhores noites por aqui vemos um pouco da Via Láctea recobrindo toda a abóbada de miríades de pontos luminosos. É um grande privilégio descortinar algumas constelações que não sei reconhecer e um pouco dessa magnífica Via Láctea. O céu adquire uma profundidade imensurável na escuridão e as estrelas mergulham nessa profundidade, cintilando com intensidades diferentes.

Ver um céu assim é um privilégio único. Sabemos que tudo o que existe foi criado por Deus e é extraordinário, como um espelho da sua glória, da sua beleza e sabedoria, do seu imenso poder que sustenta tudo infundindo vida por amor e justiça. Quão limitada é nossa percepção e compreensão da imensidão magnífica de Deus e sua criação.

Nesse contemplar o céu, esse universo gigantesco, fui tomado de um senso muito profundo da grandeza de Deus, um leve vislumbre e ainda assim maravilhoso de quão tremendo é o Senhor de tudo o que há, visível ou invisível à nossa percepção e ao nosso entendimento. De fato, vi que Deus é terrível em sua grandeza e poder, além de qualquer dimensão que podemos imaginar, mas podemos perceber seus atributos nas coisas que criou.

É difícil descrever o leve vislumbre que tive e a imensa gratidão que enche o coração diante da percepção da maravilha, da beleza, da perfeição e santidade de Deus. Não foi epifania, não foi êxtase, não sou dado a essas condições que devem ser estupendas. Nada disso, foi muito simples, em oração e meditação compreendi um pouco melhor a grandeza, justiça e amor Daquele que criou e sustenta todas as coisas e compreendi um pouco melhor a condição de nossa existência nessa criação.

Não pude deixar de compreender também, de um modo novo, o sentido imenso da vinda de Jesus, de seu sacrifício, de admirar-me que, diante de toda essa grandeza e poder, oferecer-se à morte por nossas mãos, para nos redimir com sua ressurreição de todo o mal que causamos a nós mesmos, aos outros e à criação.

O que não consigo expressar bem as Escrituras nos descrevem com perfeição e simplicidade, penso no Salmo 19, em Jó 40 a 42, mas também Hb 1, a esperança de nossa salvação e Hb 11, a nossa jornada. Realmente, fiquei impressionado com essa condição tremenda de Deus e dele enviar Jesus para caminhar conosco e sacrificar-se por nós.






      








^ retornar ao início da página


espiral da sensibilidade e do conhecimento
uma proposta de Euler Sandeville Jr.







contato ↑
licença ↑